sexta-feira, 29 de novembro de 2013

A Gloriosa Resenha - Toró de Miolo e Coisas Sobre Animação



Olá você, você que lê isto aqui e curte meus textos com inúmeras vírgulas!

Bom, não quero ser um FDP, mas quando uma pessoa tem um conhecimento (e tem onde expor ele) acaba falando. Quero dizer que gosto muito do canal “Toró de Miolo” da produtora Amazing Pixel (mesmos criadores do Jovem Nerd). Mas vi coisas nesse segundo episódio, que não gostei. E tudo isso por que sei certas coisas sobre animação, por me considerar um animador e pesquisar sobre o assunto. Bom, nos créditos deste episódio (Gravidade eNonsense) vi que era creditado o roteiro a umas 7 pessoas... Cara, eu sei que é mimimi, mas tá errado! Talvez os 7 tenham criado as piadas dos episódios, mas o crédito do Roteiro vai pra quem o escreve. Numa animação é comum (e mais prático) diversos roteiristas e pessoas envolvidas na produção se reunirem para estabelecerem as tramas dos episódios, discutirem piadas etc... As responsabilidades dos roteiros são designadas a algum ou alguns dos roteiristas (o máximo que vi foram dois) e esse ou esses levam o crédito pelo roteiro. Isso é o comum, existem outros métodos, mas todos que são creditados como roteiristas chegaram a escrever mesmo um roteiro. Não quero ser caga-regra, só quero dizer que esse é o comum. Outra coisa foi a Direção, isso me incomodou mais, essa foi sacanagem. Apareceram três Diretores nos créditos, entre eles estavam o Alexandre (Jovem Nerd) e o Deive (Azaghal). Sou fã desses caras, mas se creditarem como Diretores de uma animação é um pouquinho errado. Ok, estou exercendo meu “Pré-Conceito” (Referência NerdOffice) escrevendo isso, mas não acredito que esteja totalmente errado. Um Diretor de animação é um cara muito importante, principalmente em grandes produções. Ele é o cara responsável por comandar uma equipe, estudar o Roteiro e Storyboards para auxiliar os animadores, analisar os melhores ângulos para cada cena etc... Só quero dizer que eu não acho legal colocar o nome de alguém que numa reunião disse “Nessa cena vai ter um monte de gaivota voando por cima de um barco, entrando em uma casa e devorando uma pessoa!” como DIRETOR. Se quiserem creditá-los existe uma palavra para o que o Jovem Nerd e o Azaghal são, Consultores, aqueles que aprovam uma piada ou coisas do tipo. Também, juntamente, há a opção de creditar, já que são os donos da Amazing Pixel, como Produtores Executivos.

Eu sei, é muita cagação de Regra pra quem nem sabe o que os caras realmente fazem. Mas eu tenho base o suficiente pra pensar que nomes estão sendo mal creditados.

São só opiniões, ou você concorda ou discorda. Eu também já errei. Desde que comecei a fazer animações, me fascinava pelos créditos. Tentava copiá-los e até me creditava em coisas que nem sabia o que eram. Fui mudando isso com o tempo e deixei somente os créditos mais importantes. No começo cheguei ao ponto de os créditos serem mais longos do que a própria animação (acho que todos fazem isso no começo).

E isso foi a “revolta” de um cara que se considera animador. Espero que curta esse texto cheio de mimimi e que comente sobre algo de errado que escrevi.

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Rabiscos - #5 Porque Eu Odeio o Facebook!








Essa tira fiz só pra postar no Facebook, mas veio parar aqui! Era pra ser uma piada com as tiras com personagens padrões ou cheios de polígonos do Facebook, mas acho que não deu certo...

sábado, 23 de novembro de 2013

A Gloriosa Resenha - Os Simpsons, South Park ou Uma Família da Pesada?



Qual é o melhor? Os Simpsons, South Park ou Uma Família da Pesada? Esta pergunta trás muitas discursões, mas em minha opinião fecal os três são excelentes. Não tem como dizer qual é melhor.

Começando com South Park, um dos desenhos mais absurdos que já vi! Um desenho hilário que não só é o que é por simplesmente dizer todos os palavrões possíveis, ele é o que é também por seus roteiros espetaculares. No ponto criatividade South Park é com certeza um dos melhores, ou o melhor. Histórias que envolvem o céu, o inferno, distorções de realidade (como a campanha do Obama, por exemplo, ou Al Gore e o Homem-Urso-Porco), o seu jeito de falar sobre as religiões e etc... Um dos melhores episódios que lembro agora é quando os quatro brincam de Senhor dos Anéis e devolvem uma fita pornô para locadora sem saberem. Isso sem contar os grandes episódios com três ou duas continuações, como o episódio dos Flautistas Peruanos ou “Imaginalândia”.

Uma Família da Pesada ou Família da Pesada simplesmente se sobressai no humor completamente insano, não bizarro como South Park chega a ser, um humor mais sem noção. Essa loucura, hilária, está desde em uma luta épica com um galo gigante que cruza seu caminho a uma obsessão por uma música cantada diversas vezes de diversas formas, ou quem sabe uma queda seguida de “SSSSs” e “AAAAs”. Essas são piadas muito conhecidas do seriado, mas existem outras milhares também hilárias. A série tem um jeito único de mostrar uma situação falada por algum personagem. Não é um Flashback, é apenas uma cena em cima da outra que deu mais ritmo ao desenho e virou uma marca.  E é impossível não falar de seu criador, que vem ajudando a trazer mais insanidades como as séries “American Dad”, “Cleveland Show” ou o filme “Ted”.

Os Simpsons... Não tem como não elogiar de todas as maneiras esta grandiosa série que com toda certeza é a mais completa. Seus roteiros, dublagens, direção, tudo é feito excepcionalmente. Não existe apenas um estilo de fazer piada na série. O Homer pode tanto bater a cabeça em algum lugar ou fazer a mesma burrice duas vezes quanto fazer uma piada sutil sobre o governo, religião ou ciência. Há inúmeras piadas inteligentes, ótimas sacadas dos roteiristas e envolvidos na série, e às vezes só se percebe uma piada ou algo em cena quando se vê pela segunda vez ou quando se escuta os comentários dos episódios. Os grandes e esperados episódios de Halloween, Casa da Árvore do Terror, são fantásticos por suas homenagens a excelentes filmes. Sobre a cidade, Springfield, é uma cidade bem construída, juntamente com os personagens que nela vivem. Cada um deles com suas personalidades marcantes, como o Ned, Moe, Lenny e Carl, Skinner, Sr. Burns, Nelson...

Essas três séries foram uma grande influência em meu jeito de contar piadas e estou falando delas porque espero estrear próximo ano uma série animada no youtube que mistura um pouco de todas essas características. E (não posso deixar de adicionar essa piada) tenho certeza de que minha série irá agregar valor!

E pra terminar, quero indicar novamente o nosso querido Santuário que agora está de cara nova, sério dá gosto de navegar por aquele site. Além, é claro, de um conteúdo batuta!

terça-feira, 19 de novembro de 2013

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

A Gloriosa Resenha - #215 e Foco



Agora é certeza. Somente uma pessoa acessa esse blog!

E cá estamos de novo com uma notícia do Fernando Martins (esse cara não para). O melhor Guitarrista do Bairro agora lança a HQ AMEBÓIDE (cadê as trombetas? São quantas, 7, 12? Que toquem as trombetas!). O cara vai estar na 8ª FIQ (Festival Internacional de Quadrinhos) vendendo o seu Gibi, a sua revista, a sua preciosa e você pode ir lá comprar. A HQ é uma coletânea do seu trabalho no blog e só detém um único defeito... Poh, Fernando só tem 8 páginas? Fazia 10, né cara! É uma produção caseira, mas está muito bacana. O preço é... É mais ou menos. Então pra resumir, o Festival será num lugar legal. Pra chegar lá é só você olhar pro Horizonte, o que for Belo você vai. Não entendeu a piada? Quer ver qual o dia e outras informações? Então acesse o site AMEBÓIDE (O cara fez 215 revistas, não sei se é marketing ou ousadia).

O meu blog não é mais o mesmo. Eu me cansava muito, mas me orgulhava muito também quando as postagens tinham dia certo pra sair e sempre estavam lá pra tentar divertir o público. Mas ando meio sem rumo esses dias. Só pra contar um pouco dos bastidores, eu já criei 2 séries de HQs com boas histórias, 1 delas aproveitável, a produção da série está razoável e estou sem muitas ideias para alguns posts do blog, como o “Rabiscos” e o “Se eu fosse Designer”. Já pensei em fazer vários tipos de vlogs, dublagens de cenas de filmes (até pra melhorar minha atuação na dublagem já que eu gosto de fazer as vozes nos desenhos), e milhares de outras coisas pra “melhorar” o blog. Mas todas essas ideias não fazem sentido no blog e não faz tanto sentido pra mim, então agora estou tentando focar em só uma coisa, a série. Minha preciosa série animada pode não ser tão boa, mas se eu conseguir produzir ela será um grande feito pra mim. E logo depois que eu terminar a série eu começo a HQ. As malditas HQs que agora, não sei por que, o desejo de fazê-las ficou gigantesco.

E assim acaba essa post. Então, ao Infinito e Além! (Por que será que eu escrevo isso? Antes era “Ao compartilhamento e além” e agora que não peço mais para compartilhar, comentar ou curtir, escrevo a frase original do Buzz. Como diria Caetano “Que loucura!”).

quarta-feira, 6 de novembro de 2013