quinta-feira, 31 de outubro de 2013

A Gloriosa Resenha - Mauz!



Olá, resenha, eu, Scanner, HQ...

Então... Meu Scanner não está mais disponível para uso, ou seja, não tenho como passar os desenhos para o computador. Na verdade eu poderia usar meu celular. Tirar uma foto e passar para o PC, mas não ficaria legal, nesse caso, vou ficar sem postar desenhos por um tempo indeterminado já que quando o técnico leva qualquer coisa com ele só trás depois de muito tempo. Ele trouxe meu Dynavision ontem.

E para aqueles que esperaram ansiosamente (ou não) para a minha espetacular participação... (Não, não!) Pelo espetacular Fanzine ou HQ “35”, aqui está o link para download. Cadê? Olha ele aqui!!! É só clicar no Link aí embaixo.
http://pt.scribd.com/doc/180044593/Zine-35#download
Imagem retirada do site www.sashimynerd.com.br


Não tenho muita coisa pra escrever. Então, vou fazer o que faço sempre que é falar sobre uma coisa que eu vi adicionando fatos irrelevantes para aumentar o texto. É uma mini resenha...

A Gloriosa mini Resenha - Livro do PDF

Um dia desses fui assistir ao filme “Mato sem cachorro” no cinema e após comprar a entrada, direcionei-me a uma livraria para passar o tempo (o filme só começaria depois de uma hora). Ao procurar um livro para ler achei o livro do Porta dos Fundos. Tenho que admitir que tive um certo (referência do Jovem Nerd) “Pré-Conceito” ao ver pela primeira vez o livro num site. Eu achava que a ideia de pegar vários roteiros pra reunir num livro era algo totalmente comercial. Mas ao ler aquele livro mudei completamente minha opinião. Acho que o livro é direcionado para um público que curte ou trabalha com roteiros. E também para curiosos que admiram o trabalho deles, até porque tem algumas partes com pequenos textos de um deles falando sobre o vídeo. Enfim, se você se encaixa nesse perfil, compre o livro... Ou leia-o em uma livraria que permite que seus visitantes façam isso.

E para aqueles que gostam do Porta dos fundos fica uma indicação de assistir ao vídeo “Exercício”. Excelente vídeo. E agora é hora de que? De nada... Ao Infinito e Além!

terça-feira, 22 de outubro de 2013

A Gloriosa Resenha - AgÁ QuÊs



“Já sei por que eu ouço tanto o MRG/É que tem sempre um podcast para ouvir...”
E aí pessoal, vamos começar a resenha que na verdade só sou eu falando um monte de mer%#!

Foi uma grande semana para HQs nacionais. Eu achei uma pequena resenha de duas, uma foi a “Daytripper” e a outra, “F.D.P.”. A primeira fiquei sabendo pelo sensacional podcast MRG e a segunda por uma resenha do site “Saaaaaantuáááário” (sempre me lembro do Corcunda), uma resenha/entrevista do Rodrigo. Por suas resenhas achei bastante interessantes. Se quiserem escutar ou ler as resenhas cliquem nos links “Quá Quá Qui!” (Daytripper) e “Quá Quá Quá!” (F.D.P.). Mas uma HQ feita por um cara que odeia a “Comic Sans” foi a que se destacou (até porque essa eu consegui ler). Edson Lemos, artista sergipano como eu, criou uma HQ chamada “Os Vida Louca”. Uma ótima HQ, que me identifiquei muito. Não sei se foi pela situação, pelo local em que se passa a história, pela “crueza” da narrativa, dos personagens... Eu não sei direito por que gostei tanto da revista, são muitos pontos a se analisar. Só deixo aqui esse link para que você que está lendo possa ter sua própria experiência com essa revista muito louca do Edson. E para ir ao seu site clique em... O que? O que seria? Comic Sans!

Ainda no assunto HQs, eu e Henry Jaepelt, Thina Curtis, Raffa Gomes, Grazy Andraus... Bom, eu e uma galera fizemos um Fanzine ao comando de Fabi Menassi para a passagem dos 35 anos da mesma. Esse fanzine é de graça, quando chegar até mim em PDF eu postarei aqui! Mas se você é de Sampa pode ir ao lançamento do Fanzine “35”. A Fabi e outros autores estarão lá no dia 27 de outubro para recebê-los atenciosamente... Mais informações na página do Facebook.

E assim acaba a resenha! Comente, curta, compartilhe, ache os erros de português! Ao compartilhamento e Além!

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

A Gloriosa Resenha - A Ilha e as senhas



E AÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊ, Batmans e “DuffWomans”! Muito enérgico, não é? Parece que eu escrevo como se eu estivesse falando. E é verdade!

Bom, amigos deste pequeno blog de cartoons de conteúdo mais ou menos. Eu mudei a senha de um dos meus e-mails recentemente e, não sei se é assim com vocês, sempre me lembro de matérias em jornais e outros programas falando sobre como criar uma boa senha. Mas em quase todas essas matérias os meios de se criar senhas boas são muito loucos. Recorde-me de um onde você teria que criar uma frase (acho que é assim) e tirar as primeiras letras delas e misturar com números.
Exemplo: Meu Cachorro Cagou Na Rua 27.
                               MCCNR27
Dizem que é mais fácil de lembrar quando se faz isso, mas eu mesmo não entendo. Ainda acho melhor colocar data de nascimento... Não brincadeira! Esse é um bom método, mas prefiro continuar com minhas senhas simples de palavras e números. Por exemplo, “chocolate127morango”, ou nem precisa ser em português como “Au3revoir77”...
 
Saindo desse tema, ontem (ou qualquer outro dia pra você que está lendo) assisti ao filme “Ilha do Medo”. Muito bom, mas não consegui entender direito. Agora vai um spoiler...

Não sei se ele era louco ou o pessoal do Manicômio onde ele estava “investigando o desaparecimento de uma paciente” fez experimentos com ele... Mas que fique aqui alguns elementos que capturei.

Por que ele seria um interno naquele manicômio há dois anos?

    - Porque durante toda sua passagem como delegado na ilha sempre tomava remédios e isso poderia ser um resquício de sua situação naquele lugar sendo transferida para seus delírios. Como quando você está sonhando, toca um telefone e como defesa para você continuar dormindo seu cérebro faz com que você sonhe que um telefone está tocando.
    - Por que em uma das cenas do filme, numa conversa bem curta entre o psiquiatra e o Andrews (acho que esse é o nome do Delegado), as falas parecem cortadas, em que uma pergunta responde uma resposta e depois começa a ir para a loucura. Mais ou menos assim: (Esse não é 100% o diálogo do filme)

Delegado: Onde está o meu parceiro?
Psiquiatra: Delegado, você veio sozinho!
Close no delegado, ele olha confuso para o nada e de repente escuta-se o psiquiatra terminando uma frase.
Psiquiatra: ...Até agora. Mas e o seu parceiro?
Delegado: Que parceiro?

Uma das pacientes ao fundo ri. Esse é o final de uma cena bem curta do filme que me deixou muito confuso. Entre outras mil deste filme maluco uma das piores com certeza é a cena final, onde em uma frase ele deixa mais ou menos claro que aquilo seria uma experiência feita com ele na ilha, mas enfim... Acabou o spoiler.

A ilha é um bom filme. Eu recomendo, pois apesar de ser um filme difícil de compreender te deixa preso do começo ao fim naquela trama.

E como sempre um recadinho final dizendo que se você gostou de alguma charge, tira, HQ (é ainda vai sair HQ, mas vai demorar entre um número e outro) ilustração ou qualquer outra coisa, compartilhe, curta e se não for demais, comente... Também divulgue falando para os amigos. E Au Revoir

(Eu não acredito que continuo fazendo esses textos idiotas, ainda bem que vem coisa nova por aí pra tirar isso...)

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Foi mal, Fessor!















Em algum episódio dos Simpsons há uma piada parecida, mas não é com o professor...

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

terça-feira, 1 de outubro de 2013

A Gloriosa Resenha - O Lobo da Barraquinha de Limonada



Por onde eu começo? Nunca sei por onde começar...

Já que isso seria uma resenha de qualquer coisa, então vou falar sobre um site que encontrei um dia desses. Nem o conheci direito, apenas deu uma olhada em algumas postagens. (Vou contar desde o início pra aumentar o número de linhas) Tudo começou quando eu estava à procura de uma equipe pra me ajudar na produção de uma série animada. Encontrei um blog com nome esquisito, “Esqueleto Errante”, e nele conheci alguns desenhos (a maior parte dos posts que vi eram textos com alguns desenhos) de um autor com o suposto nome de “Yoshi”. Gostei do blog, mas parecia um pouco abandonado (como eu faço de vez em quando com esse) e para minha surpresa em um link de parceiros deste blog encontrei um site com nome pior (não me julguem), chama-se “Lobo Limão”. “Yoshi” também faz alguns posts para este blog e lá apreciei mais ainda seu trabalho.
“O Lobo Limão” parece ser um blog nerd e acho que todos os caras que fazem os posts lá desenham. Meu blog seria desse tipo, vários desenhistas (cartunistas) em um blog só, e parece que essa ideia daria muito certo porque eu achei o blog deles muito bom, pelo menos essas algumas postagens que eu vi eram muito boas. Uma das postagens que gostei foi, por coincidência, do “Yoshi”. É um tipo de HQ com algumas páginas que você pode opinar, com alternativas dadas pelo autor, como irá continuar (foi isso que eu entendi!). Mas você que sempre visita o meu blog (me esqueci de agradecê-lo... Obrigado) pode saber melhor sobre esse site com nome estranho clicando aqui! E tenho certeza que depois de visita-lo faria uma resenha melhor que a minha.

Ainda no assunto dos blogs, meu “amigo” guitarrista Fernando Martins acaba de anunciar o Mês Macaaaaaabrooo... É esse o nome? Não lembro, mas é algo parecido. Durante todo o mês de outubro ele irá publicar em seu site, Amebóide, desenhos macabros e aterrorizantes sobre monstros, psicopatas e coisas do tipo. Apresse-se, pois a primeira tira já saiu! Cliquem em “Confuso” para irem ao site (piada interna...).

E assim acaba esse texto maluco que eu chamo de resenha (tenho certeza de que me esqueci de escrever mais algumas coisas). Agora “Ao compartilhamento e Além!”.